Skip to content

“O Rei nos convida a sua festa” – Pastor Marcos Lino

out 03 2021

Vitrine Site

Culto ministrado pela pastor Marcos Lino, em 03 de setembro de 2021.

O Rei nos convida a sua festa

Texto base: (Mateus 22:01-14)

Introdução:

Na última semana de Jesus na terra, Ele tinha acabado de entrar em Jerusalém em meio ao louvor da multidão que cantava: “Hosana ao que vem em Nome do Senhor” (Mt.21.9). Ali, o Senhor purificou o templo dos comerciantes e curou muitos enfermos (Mt.21.12-14). Isso provocou a admiração de muita gente, mas também a indignação dos principais sacerdotes e escribas (Mt.21.15). Esses líderes religiosos tinham rejeitado Jesus como Messias e, portanto, vinham alimentando ódio contra o Senhor. Aqui no contexto, eles questionaram a autoridade com que Jesus realizava suas obras (Mt.21.23).

Nesse cenário de rejeição por parte dos líderes religiosos de Jerusalém, o Senhor Jesus conta três parábolas a respeito do reino de Deus. A parábola dos dois filhos, a parábola dos lavradores, e a parábola das bodas (Mt.22.1-14). Estas parábolas contadas por Jesus não são apenas uma repreensão aos líderes religiosos e incrédulos de Jerusalém. Nada disso. Essas parábolas de Jesus nos apresentam o evangelho da salvação. Elas nos falam da graça de Deus em chamar pecadores ao arrependimento e a exercer sua fé em Jesus Cristo para sua salvação. Elas nos revelam que enquanto alguns rejeitam a Cristo, outros o abraçam com fé e são salvos.

Quero destacar situações importantes que encontramos na parábola das bodas. Essas situações nos proporcionam a revelação do evangelho da salvação em Jesus Cristo. Vamos perceber que o Senhor tem um chamado urgente para cada um de nós, seja você membro ou não. Ele nos chama a aceitar o seu convite e participar da sua festa. Ele nos chama para a festa da salvação e o seu chamado é para todos.

Vejamos agora três verdades que aconteceram nesta parábola.

  1. A primeira verdade se acha na recusa ao convite do rei por parte dos seus convidados.

O rei estava muito feliz porque seu filho ia se casar e resolveu fazer uma grande festa (v.2). Ele queria compartilhar sua alegria com os nobres do seu reino e mandou convidá-los. Era costume naqueles dias, entregar o convite nas mãos dos convidados alguns dias antes da festa e, também, lembrá-los do acontecimento no dia da festa. Tudo isso foi feito pelos servos do rei (vs. 3,4). Até aqui tudo normal. O estranho foi a reação dos convidados. Ao receberem o primeiro convite, eles não mostraram nenhum interesse em participar da festa (v.3). O rei ficou sabendo disso, mas insistiu em chamá-los de novo no dia da festa. Desta vez informando que o banquete já estava preparado. O propósito do rei com este banquete não era simplesmente satisfazer os apetites dos seus convidados, mas desfrutar de sua companhia e amizade. Porém, aqueles convidados não se importaram com a festa do filho do rei. Desprezaram os dois convites. Menosprezaram o rei e o seu Príncipe!

Isso foi muito desagradável para o rei! Aqueles a quem ele considerava e com quem desejava compartilhar a sua alegria pelo casamento do seu filho, não mostraram nenhum amor por ele e por seu filho. Pessoas de alta posição no reino recusaram-se a honrar o rei com sua presença no casamento do príncipe. O convite do rei era uma obrigação e recusá-lo era uma atitude gravíssima! Com essa atitude eles revelaram grande desprezo ao rei a ponto de cuidarem apenas dos interesses próprios, e alguns dos convidados mataram os enviados que lhes convidaram.

Os ouvintes de Jesus entenderam que ele estava se referindo ao fato histórico de Israel em rejeitar a mensagem do SENHOR trazida pelos profetas. Isso aconteceu várias vezes no AT. E estava acontecendo com Jesus pelos judeus e líderes incrédulos de Jerusalém.

E o que acontece quando se rejeita a palavra de Deus? Qual a consequência de desprezar o chamado do Senhor?

Os que rejeitam o evangelho de Cristo para seguirem seus próprios caminhos, preferindo cuidar dos seus próprios interesses sem levar Deus em conta, enfrentam o Juízo!

A verdade é que Deus é paciente e misericordioso. Ele não tem prazer na morte do pecador, mas em que ele se arrependa e viva. Por isso, ele manda seus servos pregarem a sua palavra várias vezes. Ele está chamando pecadores ao arrependimento para desfrutarem da festa da salvação do seu Filho. Mas se o pecador rejeita os seus convites e permanece em seus pecados, colherá o juízo divino. O que se mantém rebelde contra o Filho sofrerá o castigo eterno, (Jo. 3.36) Quem crê no Filho tem a vida eterna; já quem rejeita o Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele”.

O Deus paciente é também fogo que consome e horrível coisa é cair em suas mãos por causa de rebeldia e incredulidade. Deuteronômio 4:24 Pois o Senhor, o seu Deus, é Deus zeloso; é fogo consumidor.

Hebreus 12:28-29 Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor, pois o nosso “Deus é fogo consumidor!”

(Hb. 3.8). Portanto, se hoje ouvirdes a voz do SENHOR, não endureçais o vosso coração.

Amados quantos judeus, e sacerdotes, não pereceram em seus pecados por desprezarem a Jesus! Quantos que cantaram “Hosana” Hosana, logo depois gritaram para crucificá-lo. Foram convidados para a festa, mas não creram e, portanto, ficaram fora do reino de Deus, pois foram considerados como indignos (Mt.22.8).

Tenhamos cuidado para que nossos interesses não sufoquem a nossa fé em Deus!

Esta geração está mais preocupada com as coisas do que com o Reino, eles querem dinheiro, fama e reconhecimento pessoal cuidado para não valorizar mais este mundo do o Reino de Deus, pois nós não somos daqui, somos estrangeiros como está em (1Pedro 2:10-12). Atentemos para a exortação do escritor aos (Hb. 3.12-15) 12Meus irmãos, cuidado para que nenhum de vocês tenha um coração tão mau e descrente, que o leve a se afastar do Deus vivo. 13Pelo contrário, enquanto esse “hoje” de que falam as Escrituras Sagradas se aplicar a nós, animem uns aos outros, a fim de que nenhum de vocês se deixe enganar pelo pecado, nem endureça o seu coração. 14Pois seremos companheiros de Cristo se continuarmos firmes até o fim na confiança que temos tido desde o princípio. Cabe a nós confiar e amar de todo coração o Pai e o Filho que nos chamam cada vez de novo para sermos firmes e alegres na sua salvação!

HOJE NÓS SOMOS OS CONVIDADOS DE HONRA PARA BODAS DO FILHO DO REI. FIQUE ATENTO PARA NÃO PERDER O DIA E A HORA DA GRANDE FESTA.

  1. A segunda verdade da parábola se baseia na decisão do rei em convidar pessoas das mais diversas classes sociais.

A festa já estava toda preparada, não só os alimentos, mas, também as vestes o rei proveu tudo que os convidados precisavam para celebrar o casamento (Mt.22.9-11). O rei já tinha executado sua justiça sobre os que rejeitaram seu convite e mataram seus servos. Contudo, a festa já estava pronta e o banquete preparado! O rei não iria estragar comida e nem deixar de festejar o casamento do seu filho porque seus convidados não vieram. Ele poderia realizar uma festa apenas com seus familiares e as pessoas mais chegadas à família real! Mas o que o rei faz? Aqui está a segunda verdade da parábola! O rei manda seus servos às esquinas da cidade a fim de chamarem a todos que pudessem encontrar para virem à festa. Pessoas das mais diversas classes sociais atenderam o convite do rei e a sala do banquete ficou repleta de pessoas. Houve festa e todos puderam celebrar o casamento do filho do rei com grande alegria.

O que Jesus nos ensina com isto? Que o convite da salvação é estendido a todos e aquele que aceitar o convite, independente de sua raça ou classe social, pode participar da festa. O rei dessa parábola é um retrato da misericórdia de Deus estendida aos pecadores. O rei não fez acepção quanto aos convidados. Pessoas boas e más estavam dentro do salão. Qualquer um que atendeu o convite entrou na festa. Meus irmãos, a salvação vem dos judeus, mas não é só para eles. É para todo pecador de qualquer raça ou nação que se arrepende dos seus pecados e crê em Jesus Cristo. Muitos judeus desprezaram o reino de Deus trazido por Jesus com sua incredulidade. Enquanto isso, muitos gentios estavam entrando no reino e sendo salvos. Esse sempre foi o propósito de Deus: estender sua salvação em Cristo a todos os povos. Por isso, Jesus mandou seus discípulos pregarem o evangelho a toda criatura e fazerem discípulos de todas as nações (Mc. 16.15; Mt.28.19; ver também Mt.8.11).

Que oportunidade preciosa você tem ao ouvir essa mensagem hoje! O Senhor está estendendo o convite da salvação a você! Na festa do rei há lugar para todos e um banquete suficiente para todos desfrutarem! Mas você não tem uma roupa limpa e apropriada para chegar à festa e nem um presente para oferecer ao filho do rei. Você se sente sujo e indigno de estar diante do rei. O que fazer então? Aceite as vestes oferecidas pelo rei e participe da festa! Notem que os convidados receberam vestes nupciais e participaram sem impedimento algum da festa. O rei providenciou não só o banquete, mas também as vestes do casamento.

Vestindo o traje nupcial, ninguém mostrava sua pobreza ou miséria. Cada um dos convidados podia esconder sua condição social e econômica atrás das roupas oferecidas pelo rei. As vestes eram brancas e simbolizavam pureza e alegria. Todos podiam estar diante do rei e desfrutar de sua festa desde que estivessem devidamente vestidos com as vestes brancas providenciadas pelo rei.

Meus irmãos! Nessa verdade da parábola brilha o evangelho de Cristo. As vestes brancas providenciadas pelo rei apontam para a justiça de Cristo, pela qual somos perdoados de todo pecado e aceitos sem impedimento algum na presença de Deus. Jesus sabe do que está falando. Ele está a poucos dias de ser entregue na cruz para derramar o seu sangue e nos purificar de todo pecado. Quem deseja ser salvo e entrar no reino de Deus precisa ser levado no sangue de Cristo! Cristo é a provisão de Deus para nossa salvação! Sua justiça são as vestes brancas que Deus nos oferece para estarmos na sua presença. Estas vestes são para você é para mim. Cristo veio salvar pecadores como nós! Ele tira a miséria do nosso pecado, nos dá vestes brancas de sua justiça e nos chama a cear com ele no banquete da salvação. Essa sempre foi desde o início a vontade de Deus. Salvar a todos.

Ele estende a você este convite:

(Zacarias 1:3) Por isso, diga ao povo: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Voltem para mim, e eu me voltarei para vocês”, diz o Se­nhor dos Exércitos.

(Isaías 55:6-7) Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto. Que o ímpio abandone o seu caminho; e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois ele dá de bom grado o seu perdão.

(Isaías 45:22) “Voltem-se para mim e sejam salvos, todos vocês, confins da terra;

pois eu sou Deus, e não há nenhum outro.

(Joel 2:12-13) 12“Mas agora”, diz o Senhor, “voltem-se para mim, enquanto ainda há tempo. Entreguem-se a mim de todo o coração, com jejum, lamento e choro”. 13 Rasguem os seus corações e não apenas as suas roupas. Voltem para o Senhor, o seu Deus, pois ele é misericordioso e compassivo. Ele é paciente e cheio de amor e está sempre pronto a arrepender-se e não castigar.

(Atos 3:19-20) Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados, para que venham tempos de descanso da parte do Senhor, e ele mande o Cristo, o qual lhes foi designado, Jesus.

(Mateus 11:28) “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu darei descanso a vocês.

(Apocalipse 22;17) O Espírito e a noiva dizem: “Vem!” E todo aquele que ouvir diga: “Vem!” Quem tiver sede venha; e quem quiser beba de graça da água da vida.

  1. E a última verdade da parábola se acha na presença de um convidado na festa sem a veste nupcial (v.11,12).

Já vimos que o rei providenciou roupas brancas para todos os convidados. Porém, um dos convidados entrou na festa, mas recusou-se a vestir os trajes oferecidos pelo rei. Ao entrar na sala do banquete, o rei examinou com alegria todos os convidados que estavam com vestes brancas. Porém, ficou surpreso e indignado ao ver um dos convidados sem a veste apropriada para a festa. “Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial?”, perguntou-lhe o rei. O homem nada respondeu. Permaneceu calado. O rei, então, indignado com o insulto do tal homem, ordenou que o lançassem para fora, nas trevas. O rei não aceita ninguém na sua presença que rejeite os recursos que ele oferece para todos.

Meus irmãos! O convidado que não estava usando a veste branca representa todo pecador que busca a salvação por suas próprias obras. É o retrato daqueles que acham que podem entrar no céu por seu mérito e não pelo sangue de Cristo. Esse era o problema dos judeus naqueles dias. Eles não se sujeitaram a Cristo, a justiça estabelecida por Deus para salvação, Olha o que paulo fala aqui em sobre os Judeus.

(Rm. 10.1-3).1Queridos irmãos, o desejo do meu coração e a minha oração são que os israelitas possam ser salvos. 2 Eu sei que eles têm zelo por Deus, mas esse é um zelo mal dirigido. 3 Pois eles não conhecem a justiça que vem de Deus e procuram estabelecer a sua própria justiça; assim acabam rejeitando a justiça de Deus.

Eles não se revestiram do sangue de Cristo, mas queriam estar diante de Deus do seu próprio modo.

(João 14:6.) Respondeu Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.

A salvação não depende do que fazemos, mas do que Deus fez por nós em Cristo.

(Gálatas 1:3-5) 3 A vocês, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo, 4 que se entregou a si mesmo por nossos pecados a fim de nos resgatar desta presente era perversa, segundo a vontade de nosso Deus e Pai, 5 a quem seja a glória para todo o sempre. Amém.

Nossas melhores obras são como trapos de imundícia. Notem que até pessoas consideradas boas tiveram de vestir as roupas oferecidas pelo rei. Somente as vestes providenciadas por Deus, ou seja, o sangue de Cristo que nos purifica, nos dá a graça de estar diante de Deus.

Saiba que não é por você ser batizado ou ter feito profissão de fé, não é por conhecer toda a Bíblia, participar da igreja, fazer boas obras, cantar louvores, celebrar a ceia e até ser um líder na igreja que você será salvo. Tudo isso é importante, mas não garante nossa salvação. A justiça de Cristo é a garantia da nossa salvação. A graça de Deus em Cristo é quem nos leva para o reino de Deus!

Conclusão:

Notem que Jesus conclui a parábola dizendo: “Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos” (14). O evangelho é pregado a todos, mas nem todos se arrependem e creem. Aqueles que recusam o convite e não aceitam as vestes oferecidas pelo rei não fazem parte dos escolhidos. Por outro lado, aqueles que aceitam o convite do rei e se vestem com as roupas brancas da justiça de Cristo crendo em Jesus como único caminho de salvação, estes, pela graça de Deus, são destinados para a vida eterna (At.13.48). Deus abre corações e conduz pecadores ao céu. Portanto, ouça o seu chamado! Aceite o seu convite! Abandone seus pecados e qualquer caminho de se chegar a Deus que não seja Cristo. Mas vista-se com as roupas brancas da justiça Cristo!
Creia nele e desfrute da festa da salvação .
Deus te abençoe.

Clique no play para assistir o vídeo.

https://www.youtube.com/watch?v=GrdSdK_owCM

Pr. Marcos Lino

Por Pr. Marcos Lino

Pastor responsável pela ministração do Louvor e integrante da liderança do ministério de Louvor e Adoração.