Skip to content

“Volta ao primeiro amor” – Pastora Maria Granado

jun 04 2017

maria040617

 Culto ministrado pela pastora Maria Granado, em 04 de junho de 2017.

Volta ao primeiro amor

Palavra base: “Apocalipse 2:1-7”

INTRODUÇÃO

Éfeso, significa “desejável’’. Cidade greco-romana da Antiguidade situada na costa ocidental da Ásia Menor, província de Esmirna, atual Turquia. Foi por muitos anos a segunda maior cidade do Império Romano, com uma população estimada em cerca de 250 000 habitantes já no século I a.C., o que também fazia dela a segunda maior cidade do mundo na época. A cidade era célebre pelo Templo de Ártemis, deusa conhecida como Diana pelos romanos, a deusa da fertilidade, erguido em 550 a.C., uma das Sete Maravilhas do Mundo.

O que Deus quer nos mostrar hoje através desta mensagem a igreja de Éfeso?

Éfeso, uma igreja que começou muito bem e que havia perdido o que lhe deu o conceito de desejável – o amor.

Uma igreja sem amor é uma igreja em decadência total. A igreja de Éfeso foi muito bem estabelecida na doutrina apostólica. Em toda a Ásia Menor, não havia igreja mais obreira, dinâmica verdadeira do que a de Éfeso. O seu preparo teológico era sólido. Éfeso era uma igreja apologética (Defendia seus ideais). Ela destacava-se também por seu testemunho de batalhar pela expansão do Reino de Deus. Paulo ensinou a Palavra de Deus ali, durante três anos. (Atos 20.31) “Portanto, fiquem vigiando e lembrem que durante três anos, de dia e de noite, eu, chorando, não parei de ensinar cada um de vocês.”

Pelo teor e conteúdo da Epístola de Paulo aos Efésios, se vê que aquela igreja era espiritual. Mas, saibamos que o juízo de Deus irá começar pela própria Casa de Deus (1 Pedro 4.17).

Por isso Éfeso foi uma das igrejas que foram advertida pelo Senhor. Uma igreja de ministros excelentes. A igreja de Éfeso foi pastoreada por João o apostolo amado, e também por Paulo, Timóteo e Tíquico. A função do Pastor é de instruir o povo na Palavra de Deus (Tito 1.6-9). Essa igreja, teve o privilegio de possuir obreiros do calibre de Paulo e Timóteo, contou com cristãos ilustres como Priscila e Áquila (Atos 18.27). Seus primeiros anos foram caracterizados por milagres e um grande crescimento. Com excelência na doutrina!

O pastor não deve falar ou ensinar suas próprias filosofias, mas sim ser fiel ao ensinamento da Palavra de Deus. Deduzimos que essa liderança eclesiástica de Éfeso (pastor ou líder local) teve uma responsabilidade muito séria diante de Deus.

Isso serve de alerta a nós pastores nos dias de hoje, que não se esmeram em aprender a Palavra.

Que Deus possa ter misericórdia e suprir a Igreja com homens e mulheres fiéis à Palavra como aqueles que lideraram Éfeso no principio.

QUAL FOI A QUEIXA DO SENHOR EM RELAÇÃO A IGREJA DE ÉFESO?

A queixa do Senhor contra essa igreja foi o abandono do primeiro amor. A vitalidade espiritual que vinha do amor pelo Senhor que eles possuíam, perdeu para uma vida de rotina. Eram poderosos nas Escrituras, mas atrofiados na prática do amor. A vida cristã exige comprometimento tanto emocional quanto intelectual com Cristo, cuidado com a indiferença com o reino de Deus.

No livro de Mateus 7:24 Jesus nos ensina, como o homem que edificou a sua casa na rocha, que devemos não apenas ouvir mas também praticar a sua palavra.

Este é o grande desafio da pratica cristã: ouvir, aprender e agir segundo as Escrituras.

Creio que muitos de nós já ouvimos frases do tipo: “Esse irmão está no fogo do primeiro amor!” ou “Isso é coisa de quem está no primeiro amor”, e na maioria das vezes, não entendemos o que é esse primeiro amor.

Pelo exemplo de Éfeso vemos que quem perdeu o primeiro amor, tem sua vida cristã fora dos parâmetros de Deus; “O fogo, pois, sobre o altar arderá nele; não se apagará” (Levítico 6.12).

O cristão deve ser constante em seu zelo pelo Senhor e seu reino. A devoção indiferente é desprezível (Apocalipse 3.15,16).

Sendo o primeiro amor tão sublime e grandioso, pode alguém vir a esquecê-lo?

Lembremos que a cidade de Éfeso era como que ‘o centro mundial’ do paganismo.

Ali havia uma das sete maravilhas do velho mundo — o templo da deusa Ártemis/Diana, local de intensa idolatria, onde floresciam a prostituição, as bebedeiras e as orgias, criminosos achavam asilo. Era um céu para o perverso. Era o esgoto da iniquidade. Não é fácil para uma igreja desempenhar a missão de evangelizar nas portas do inferno, em meio à tamanha idolatria e imoralidade.

Embora o ambiente fosse desfavorável, a pregação do Evangelho, os lideres não podiam permitir que essa situação abalasse a vida espiritual do povo.

A vida cristã exige comprometimento para que o amor não se enfraqueça e se transforme em repulsa, por causa de práticas contrárias ao evangelho, mas o fervor espiritual deve continuar ardendo até a volta do nosso Senhor e Salvador Jesus o Cristo.

VOLTANDO AO PRIMEIRO AMOR

(Tiago 1:22) “E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.”

A grande luta do Crente deve ser de continuar firme no Senhor, mantendo sempre acesa a chama do primeiro amor por Cristo e sua igreja até o último instante de sua vida aqui na terra. O amor, a essência da natureza divina. O amor, a perfeição do caráter de Deus. O amor, a maior força do universo.

Éfeso: Rica em obras, pobre em amor. Aqueles irmãos tiveram um início glorioso em sua experiência com Deus. A epístola de Paulo aos Efésios dá a entender que aquela igreja não era problemática, como a de Corinto, por exemplo.

No princípio, os efésios se destacavam pela elevada espiritualidade. Contudo, o tempo passou e algo mudou. Aparentemente, tudo estava como antes: as obras continuavam a todo vapor. Aquela comunidade era muito ativa e trabalhadora. Entretanto, a essência estava comprometida. Havia muito trabalho e pouco amor; muita atividade humana e pouca unção do Espírito. As boas obras são importantes, mas precisamos lembrar que elas não salvam (Efésios 2.8-9).

Amar, é a mais elevada das obras. Não há obra tão elevada como amar a Deus: “Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder.” (Deuteronômio 6.5).

Então como devo viver o Primeiro Amor? (1 Coríntios 13.1-8)

Devemos amar profundamente a Jesus, Sua Palavra, Sua igreja. Desejo profundo de andar em intimidade com Deus. Desejo ardente de cultuar ao Senhor. Amar e ter comunhão sincera com os irmãos e Dedicação sincera a Cristo e a sua obra, prazer em servir, amar é uma consagração total.

Conclusão

A essência da vida cristã está exatamente na experiência do primeiro amor. Quando este primeiro amor começa a se transformar em rotina diária, é um sinal de alerta de que a verdadeira experiência de amor cristão está se esfriando. O segredo é fazer o efeito do primeiro amor permanecer em nossas vidas. O primeiro amor é o selo identificador de um relacionamento sincero com o seu Deus em Cristo. É o fruto de uma tomada de decisão, de uma entrega pessoal, de um envolvimento existencial.

Promessa aos vencedores: (V.7) “Ao que vencer dar-lhe- ei a comer da árvore da vida que está no meio do paraíso de Deus”

A nossa salvação e o nosso galardão estão condicionados à perseverança em sermos FIÉIS ao nosso amado JESUS O CRISTO (1 João 3:18) “Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.”

COMUNIDADE CAMINHO DA PAZ

PRA. MARIA GRANADO

Pra. Maria Granado

Por Pra. Maria Granado

Pastora Líder e fundadora, com o amor de mãe, tem dedicado todos os seus dias na presença do Senhor, no cuidado para com os irmãos e na pregação da Palavra da Salvação.

Leia também as postagens abaixo!